Bunionette e a confusão com a Joanete

Bunionette e a confusão com a Joanete

Bunionette e a confusão com a Joanete

Também conhecido como “joanete de alfaiate”, o bunionette era uma doença muito comum entre os antigos alfaiates, que trabalhavam sentados com as pernas cruzadas. A protuberância aparece na cabeça do quinto metatarso, o osso do pé que está localizado antes do dedinho.

Sua principal causa é a pressão excessiva no local, como excesso de carga na região ou o uso por muito tempo de calçados inadequados, em geral os de bico fino ou de salto alto.

O bunionette é uma forma de joanete menos frequente e ocorre de forma progressiva, tornando-se bem dolorosa quando há atrito com os calçados. Ou seja, quanto maior o uso desses tipos de calçados mais a doença vai se desenvolver.

As mulheres tem mais bunionette que os homens?

Da mesma forma, homens e mulheres estão sujeitos a sofrer a doença, mas as mulheres possuem uma predisposição maior por utilizarem calçados inadequados. As crianças também estão sujeitas a desenvolver a deformidade, mas pode-se conter a dor e o dano com mais facilidade pois a estrutura física ainda está em formação, o que torna mais fácil contornar a doença do que em um jovem adulto.

Existem outros fatores que podem influenciar no desenvolvimento do bunionette, como por exemplo o pé calvo ou supinação em excesso (que é quando a parte externa do calcanhar se apoia primeiro no chão e o corpo faz pressão para o mesmo lado), hereditariedade e frouxidão nos ligamentos.

Como é feito o diagnóstico e o tratamento?

O diagnóstico é feito a partir do relato sobre a rotina, os sintomas e o histórico médico familiar e individual. Também é realizado o exame físico para verificar o grau de anormalidade e exames como a radiografia para verificar se houve lesão óssea.

Geralmente são tratados de forma não cirúrgica. Quando não doem, não precisam ser operados.

Os que doem também não são necessariamente cirúrgicos, podendo-se optar pela utilização de calçados confortáveis e ortopédicos, protetores e palmilhas ortopédicas, sessões de fisioterapia para aliviar os sintomas e interromper o avanço, além de prescrição de remédios analgésicos e anti-inflamatórios.

Em caso de dúvidas, procure um médico ortopedista. Agende uma consulta.