Calçados adequados para o idoso: como escolher?

calçados adequados para o idoso

Calçados adequados para o idoso: como escolher?

Vários dos problemas ortopédicos são mais comuns em idosos, especialmente os de pé e tornozelo. O uso de calçados adequados para o idoso, portanto, é um tema interessante e que merece atenção. Mesmo que você ainda não esteja na idade de se preocupar com isso, saber quais tipos de calçado são mais adequados para evitar problemas é bastante útil para que você já comece ase prevenir desde jovem.

Por exemplo, evitar calçados muito apertados, desconfortáveis e o uso excessivo de salto alto são boas formas de prevenir problemas ortopédicos causados por sapatos inadequados.

Quando envelhecemos, naturalmente ocorre atrofia muscular e diminuição da quantidade de gordura na região do pé e tornozelo. Isso diminui a capacidade do pé de absorver o impacto ao caminhar, pois a menor quantidade de gordura causa ao pé menos flexibilidade, ao mesmo tempo que torna essa região mais sujeita a dores e calosidades. Usar um calçado adequado é uma das maneiras de amenizar esses problemas.

Mas como escolher o calçado ideal? De uma forma geral, é fácil identificar quando alguém, idoso ou não, está usando um calçado inadequado: é desconfortável, causa vermelhidão nos pés, gera fricção e atrito em certas regiões, principalmente nas zonas de proeminência óssea, e ainda o surgimento de calosidades e/ou bolhas. As zonas de vermelhidão indicam sobrecarga na região, mostrando que o calçado não está adequado. Os calos são uma resposta do organismo para a hiperpressão no local, e indica que o sapato está comprimindo a região de forma excessiva.

Para escolher os calçados adequados para o idoso, deve-se primeiramente levar em conta o formato do pé da pessoa, que é diferente para cada um. Alguns tem o pé em formato mais retangular, por exemplo, e nesses casos os sapatos de ponta fina comprimem demais a região anterior e causam problemas como calosidades, dedos em garra e joanete.

Pode-se optar por calçados com saltos discretos se o objetivo é proteger o calcâneo, região que sofre bastante com a perda de gordura. Nesses casos, também vale procurar por sapatos com um solado bem firme para proteger o pé do impacto da marcha.

Outra característica dos calçados adequados para o idoso é a possibilidade de ajustar e fechar (com fivelas de velcro, por exemplo), pois oferecem maior proteção ao pé frágil. É comum também que pacientes diabéticos tenham diminuição da sensibilidades, e nesses casos os sapatos ajustáveis também são adequados. Os idosos costumam se queixar de rigidez articular e de dificuldade de enxergar, e também para isso a facilidade de vestir um sapato fechado com velcros pode ajudar bastante na rotina.

Se o idoso faz questão de sapatos abertos, o mais recomendado são os do tipo “papete”, sandálias com ajuste por cima do pé e solado firme e emborrachado. É extremamente desaconselhado o uso de chinelos e rasteirinhas por idosos, pois são calçados instáveis que atrapalham na coordenação e equilíbrio.

Além de evitar dores, inflamações, calos e outros problemas ortopédicos, o uso de calçados adequados pelo idoso ainda contribui para melhorar o equilíbrio e evitar as quedas, um problema bastante comum na população idosa e que é a causa de problemas ortopédicos em outras regiões do corpo como as fraturas.

Espero que essas dicas ajudem você a escolher os calçados ideais para o idoso. A melhor dica, porém, é que o idoso peça ajuda ao médico especialista em pé e tornozelo se tiver qualquer dúvida na hora de escolher os calçados ideais, e não demore a se consultar caso sinta dores ou perceba inflamações.