Fratura do tornozelo

tornozelo

Fratura do tornozelo

A fratura no tornozelo é muito comum em nosso dia a dia. Ela é similar à entorse, porém acomete os ossos. Lesões esportivas, quedas de alturas e acidentes de trânsito são as causas mais comuns.

A articulação do tornozelo é uma das mais importantes do corpo humano. Essa articulação é responsável por grande parte da mobilidade da pessoa. Ela nos permite correr, saltar, caminhar, por isso é comum que este local sofra lesões. A fratura do tornozelo ocorre quando os ossos dessa articulação sofrem algum tipo de trauma.

Os ossos que compõem a articulação do tornozelo são:

Tíbia;
Fíbula;
Tálus (une o pé à perna).
Frequentemente, as fraturas do tornozelo são acompanhadas de outras lesões, como entorses, ruptura de ligamentos, fraturas do pé e da perna.

Quais são as causas mais comuns da fratura do tornozelo?

As causas mais comuns de fratura do tornozelo são as quedas. Uma caminhada ao ar livre em um terreno irregular é fator de risco para uma queda. Da mesma forma, o desequilíbrio ao subir na escada para trocar uma lâmpada pode ocasionar uma queda. Situações simples do nosso cotidiano causam fratura no tornozelo.

Além disso, os acidentes de carro e moto estão entre os fatores de risco para fraturas no tornozelo. Da mesma maneira as atividades esportivas, em especial as de alta intensidade e grandes impactos.

Outro fator de risco para fraturas é a idade avançada. Pessoas mais idosas são mais propensas a cair e por causa da perda óssea própria da idade, sofrem com mais facilidade fratura no tornozelo e em outras partes do corpo.

Sintomas

Os sintomas da fratura no tornozelo são imediatos. O paciente sente dores intensas, fica incapacitado para andar e o local da lesão fica roxo. Além disso, a região fica inchada e tende a ficar deformada.

Dessa forma, quando o paciente sofre uma fratura no tornozelo, deve ir ao médico imediatamente. O ortopedista pedirá um exame de raio-X para ver a gravidade da lesão. Entretanto, se o ortopedista suspeitar que houve rompimento dos ligamentos, ele pedirá exames complementares de imagem, como ressonância magnética ou tomografia. Após, ele indicará o tratamento e o período em que o paciente ficará sem colocar o pé no chão.

Tratamentos para fratura no tornozelo

O tratamento depende do exame mostrar a gravidade da lesão. Desse modo, quando a fratura é leve, o tratamento conservador é o indicado. Assim, o tornozelo do paciente é imobilizado com uma tala ou bota de gesso por um tempo determinado. Além disso, o paciente deve usar medicações para dor e anti-inflamatórios.

Entretanto, se a lesão for grave, o paciente será encaminhado para o tratamento cirúrgico. Esse tratamento serve para colocar os ossos na posição mais normal possível e conta com a ajuda de placas e parafusos.

A fisioterapia melhora a recuperação do paciente, sendo recomendada em ambos os tratamentos (conservador e cirúrgico). O período para estes tratamentos pode ser de seis a 12 semanas. Acima de tudo, a plena recuperação da região lesionada passa por seguir corretamente as orientações do ortopedista especialista em tornozelo.

A prevenção ajuda a evitar esse tipo de lesão. Da mesma forma, exercícios de alongamento e fortalecimento da musculatura das pernas. Em caso de dúvidas, converse com um ortopedista especialista em tornozelo em São Paulo.

Tags: