Pé cavo

Pé cavo

Pé cavo

O pé cavo é uma alteração anatômica em que o pé desenvolve uma curvatura excessiva para dentro, formando um arco maior do que o normal na planta do pé. Geralmente, essa é uma condição adquirida, e não congênita, e que é mais frequente em atletas a partir dos oito anos de idade. A princípio, isso pode não parecer um problema, mas existem sim vários sintomas e complicações que podem surgir em decorrência de um pé cavo. É sobre isso que eu gostaria de falar nesse texto, e também um pouco sobre o tratamento.

Inicialmente, quando a curvatura ainda é pouca, o pé cavo pode não apresentar sintomas. Mas essa é uma condição que tende a evoluir, e então os seguintes sintomas vão aparecer:

  • arco do pé visivelmente acentuado;
  • dedos dos pés em garra;
  • calos e calosidades no antepé e calcanhar;
  • dores nos pés;
  • instabilidade ao caminhar, aumentando o risco de entorses no tornozelo;
  • sensação de fraqueza e dormência nos músculos da região;
  • inflamação nos músculos da planta do pé;
  • lesões no tendão de Aquiles.

O paciente que buscar o ortopedista especialista em pé e tornozelo com algum ou vários dos sintomas acima vai passar por um exame físico, em que o médico vai diagnosticar o pé cavo. É provável que outros exames complementares também sejam pedidos, como a radiografia do pé (para determinar com precisão a extensão da deformidade) e ressonância magnética. Durante o processo de diagnóstico, também será investigada a origem do problema. A causa exata do desenvolvimento do pé cavo ainda é desconhecida, e em alguns raros casos o bebê nasce com essa predisposição e a desenvolve na infância. Porém, existem algumas condições de saúde que costumam provocar o pé cavo e são classificadas como a origem do problema. São elas:

  • distúrbios neurológicos (como paralisia cerebral, distrofia muscular, AVC);
  • doenças hereditárias como atrofia fibular muscular;
  • lesões recorrentes nos pés;
  • prática intensa de alguns esportes.

Como é realizado o tratamento

Pelo fato de o pé cavo ser provocado por outras patologias já instaladas, o mais recomendado é focar o tratamento inicial nesse problema original. Porém, o pé cavo em si também tem tratamento, que consiste principalmente em corrigir ou compensar o arco excessivo do pé, e assim reduzir os sintomas. O médico ortopedista especialista em pé e tornozelo vai indicar o uso de palmilhas personalizadas, que são colocadas dentro dos calçados do paciente de forma a melhorar a estabilidade e amortecimento e compensar a distribuição desigual de pressão plantar. Outra possibilidade é a orientação para o uso de calçados diferentes, que apresentem maior apoio posterior, melhorando também a estabilidade. Para a prevenção de entorses, é interessante acompanhar o tratamento com um treino de equilíbrio e também com alongamentos específicos.

Na maioria dos casos, os sintomas provocados pela condição do pé cavo não são graves o suficiente para ser necessário recorrer à cirurgia. Em alguns raros casos, o ortopedista pode optar pelo tratamento cirúrgico para garantir uma diminuição mais rápida da dor. O tratamento fisioterápico geralmente acompanha o ortopédico, com o objetivo principal de estimular os músculos e trazer mais estabilidade aos pés.

Em qualquer caso, o ideal é sempre procurar o especialista em pé e tornozelo assim que notar os sintomas ou começar a sentir incômodo ao caminhar ou praticar atividades físicas. Quanto mais cedo for investigada e tratada a origem do pé cavo e feitos os tratamentos para equilíbrio, maiores são as chances de sucesso da correção e menores as chances de lesões.

Tags: