Coalizão tarsal

O que é a coalizão tarsal?

A coalizão tarsal é uma fusão ou união dos ossos que fazem parte da região do tarso, conhecida como mediopé e retropé, comumente as partes traseiras e centrais da estrutura.

 

Essa fusão entre dois ossos do pé, ocorre de maneira total ou parcial, formando uma barra rígida, de aparência cartilaginosa e fibrosa. Tal anomalia pode interferir diretamente pacientes que são esportivamente ativos, provocando dores na região tarsal após uma série de treinamentos, portanto, cabe o acompanhamento de um ortopedista especialista em pé e tornozelo para diagnóstico e tratamento.

Quais as causas da coalizão tarsal?

coalizão tarsalEtimologicamente, as causas da coalizão tarsal são desconhecidas, sendo atribuída a um fator congênito, onde o paciente nasce com esta anormalidade.

 

Além disso, pacientes que têm o pé plano e apresentam sintomas como baixa flexibilidade, dor e assimetria possuem uma maior probabilidade de desenvolver este quadro.

 

Vale destacar que este problema também pode se apresentar na vida adulta, em pacientes que desenvolvem artrose, doença que acomete as cartilagens articulares.

Tipos de coalizão tarsal

Ao todo, o tarso é composto por sete ossos que atuam em conjunto para a movimentação natural da região. No entanto, apesar de ter uma quantidade considerável de estruturas, os quadros mais comuns, são:

 

Coalizão talocalcaneana

Neste quadro, caracteriza-se a fusão do tálus e o calcâneo, formando uma barra óssea na região posterior. Nesta condição, o paciente passa a apresentar sintomas no início da adolescência, quando há uma acentuação do crescimento ósseo.

 

Coalizão calcâneonavicular

Este tipo de coalizão se dá pela fusão dos ossos calcâneo e navicular, formando-se na região frontal e provocando sintomas aos pacientes mais jovens, por volta dos 8 anos de idade.

Quais os sintomas da coalizão tarsal?

coalizão tarsalOs sintomas da coalizão tarsal diferem, uma vez que o processo de ossificação, assim como o osso do tarso, pode ocorrer em diversas fases da vida. No entanto, de maneira geral, em grande parte dos casos, o paciente começa a apresentar incômodos somente no futuro, em uma fase mais avançada da vida.

 

Estes sinais se fazem presentes caso o indivíduo inicie a prática de atividades físicas ou sofra uma entrose, por exemplo. Atletas que atuam em modalidades de impacto, que exigem saltos constantes, podem sofrer com a síndrome do túnel tarsal, desencadeada pela coalizão.

 

Quando os ossos talonavicular, calcaneonavicular e talocalcaneal são acometidos pela fusão óssea, os sintomas podem se manifestar já no início da vida, durante a infância e adolescência.

 

Os pacientes que apresentam sintomas sentem incômodos recorrentes nos pés e na região do tornozelo, além da limitação de movimentos.

Diagnóstico para coalizão tarsal

Em uma consulta com um ortopedista especialista em pé e tornozelo, o profissional irá avaliar o histórico do paciente e realizar testes clínicos. Além disso, exames de imagem, como o raio-x e tomografia computadorizada.

 

Estes procedimentos auxiliam o ortopedista a um diagnóstico preciso, uma vez que os exames de imagem apontam os ossos que se encontram fundidos. Dessa forma o tratamento adequado pode ser prescrito.

Tratamento para coalizão tarsal

coalizão tarsalOs tratamentos disponíveis para a coalizão tarsal consistem em medidas conservadoras iniciais e, caso esta abordagem não traga os efeitos esperados, o ortopedista especialista em pé e tornozelo pode indicar uma intervenção cirúrgica.

 

Tratamento não cirúrgico

O tratamento não cirúrgico para a coalizão tarsal consiste na mudança de atitudes do paciente, através da diminuição das atividades físicas que causam impacto e, consequentemente, dores a região.

 

Além de diminuir a prática de atividades de alto impacto, também é indicado que o descanso seja em intervalos grandes, de quatro a seis semanas, a fim de minimizar as dores.

 

Caso os incômodos não diminuam, o ortopedista especialista em pé tornozelo pode prescrever o uso de botas ortopédicas e palminhas específicas para amenizar as dores do paciente.

 

O acompanhamento fisioterapêutico também pode auxiliar na correção de problemas biomecânicos através de exercícios específicos, que visam a melhora da mobilidade na região do tarso.

 

Tratamento cirúrgico

Caso o tratamento conservador não apresente resultados satisfatórios, a intervenção cirúrgica é necessária. Neste procedimento, o objetivo é eliminar ou impedir o crescimento ósseo na região do tarso a fim de liberar a funcionalidade articular.

 

O procedimento é minimamente invasivo, e consiste em uma pequena incisão para a ressecção na barra óssea formada pela coalizão tarsal.

Como funciona a recuperação após a cirurgia?

Após a cirurgia de coalizão tarsal, o paciente deve permanecer sem apoiar o pé operado no chão, com o auxílio de muletas. Nas semanas seguintes, o mesmo deve visitar o médico para avaliação, troca do curativo e após duas semanas, a retirada dos pontos no local.

 

Em seguida, o ortopedista especialista em pé e tornozelo pode prescrever sessões de fisioterapia para fortalecer a região e ganho de mobilidade da região operada.

Por que se consultar com um ortopedista de pé e tornozelo?

coalizão tarsalCaso você ou seu filho apresente incômodos recorrentes na região do tornozelo, especialmente após a prática esportiva ou movimentos constantes, é preciso de uma investigação de um profissional especializado.

 

O ortopedista especialista em pé e tornozelo trás a segurança de um diagnóstico preciso e o tratamento adequado para o paciente, sem que haja uma agressão ao organismo do mesmo.

 

Além disso, caso o paciente sofra com uma entorse na região e as dores no tornozelo venham acompanhadas de limitação de movimentos, mesmo após o período de descanso, é preciso consultar-se com um especialista, uma vez que a coalizão tarsal pode se desenvolver ou se evidenciar a partir deste tipo de quadro.

Agendar consulta com Ortopedista de Pé e Tornozelo

Dr. Rodrigo Vicente

Endereço

Rua Iraúna, 195 – Vila Olímpia - São Paulo – SP

Telefone

(11) 3051-4304

    Últimas do Blog

    • A fratura no tornozelo é muito comum em nosso dia a dia. Ela é similar à entorse, porém acomete os ossos. Lesões esportivas, quedas de alturas e acidentes de trânsito são as causas mais comuns. A articulação do tornozelo é uma das mais importantes do...

    • Osteocondrite dissecante do tálus é uma lesão na cartilagem do tornozelo e pode ocorrer após uma torção. O paciente sente dor contínua e incapacidade de caminhar. Esse tipo de lesão ficou conhecida no mundo dos esportes por aparecer após um trauma prévio. É também conhecida...

    • Usar salto alto em excesso faz mal para o pé e tornozelo. Além disso, pode causar problemas aos quadris, joelhos e coluna. O salto alto altera a forma natural que a pessoa pisa no chão, colocando todo o peso do corpo na parte anterior do...